Sweatshop, websérie sobre a indústria da moda.

Na semana passada não se falava de outra coisa nas redes sociais, se você ainda não viu, tire 1h do seu dia para assistir e repensar sobre toda essa situação. Já não é novidade que muitas pessoas trabalham em condições críticas, com cargas horárias absurdas e ganhando pouquíssimo, beirando um trabalho escravo. Sei que já existem “n” documentários que falam sobre o mesmo assunto, mas esse tomou tal proporção acredito que por serem três jovens como nós, que pensam como nós. É uma realidade mais próxima da gente. 

“Sweatshop Deadly Fashion” 

É uma websérie lançada no ano passado, que documenta o desafio de três jovens noruegueses a viver a vida de um trabalhador das fábricas de roupa do Camboja,  Anniken (blogueira) Frida e Ludvig (amantes da moda). Sabe aquela blusa que a gente acha linda lá na loja que custa R$50,00 e esta em promoção? então, eles foram lá ver a realidade das pessoas que fazem essas roupas pra “nós”.

Eles foram viver por 1 mês a experiência dos trabalhadores “quase” escravos dessas fábricas no “distrito das roupas”, com direito a cargas horárias de ate 12h, 7 dias por semana, com descanso somente no almoço para comer uma comida em situações precárias, costurando sem parar a mesma peça de roupa, repetidas vezes, com a pressão de estarem sendo acompanhados de perto para que não haja erros ou atrasos, e no final do dia ganhar um salário que nem preciso dizer que não era nada suficiente para sobreviver.

sweatshop1 sweatshop-deadly-fashion

A série é dividida em 5 episódios, você pode encontrá-los aqui, e você observa nitidamente a mudança dos participantes com o passar dos acontecimentos, Anniken, a blogueira, chega a dizer que “eles sempre trabalharam dessa forma, não conhecem nada diferente, então pra eles não deve ser tão ruim” no começo da série, o último episódio mostra os três arrasados e em lágrimas.

**Infelizmente ainda não foi disponibilizado legendas em português, somente em inglês. (Mesmo quem não entende, as imagens falam por si).

sweatshop2

Não há uma solução prevista para esse caso, mais acredito que quanto mais se fala de um problema mais ele repercute e para esse tipo de situação repercussão é algo bom, porque conseguimos mostrar pro mundo todo essa realidade e ver se as marcas que empregam essas pessoas se posicionam de alguma maneira positiva para solucionar.

Esperança é a última que morre.

Pra pensar: Será que vale mesmo a pena comprar aquela blusa de R$100 que você viu outro dia sabendo que quem a fez pode estar trabalhando em situações parecidas com essas da série, pense que a única fábrica que concordou em abrir as portas para ser gravada por dentro foi aquela, e já era uma situação precária, imagine como devem ser as outras? Pense!

anuncioanuncio
Thaika Ferreira, por Thais Ferreira © 2016 - Design por Susan Santos e Programação Sara Silva